UM Sexual Ethics
Other Manual Translations: English Français

BOR #2046: A Ética Sexual como Parte Integrante da Formação para Liderança Ministerial

Posted by lolaagency on June 27, 2018

BOR #2046: A Ética Sexual como Parte Integrante da Formação para Liderança Ministerial

     Antecedentes: Uma sondagem realizada em 2005 pela Comissão Geral sobre a Situação e o Papel da Mulher (doravante referida como GCSRW), intitulada “Assédio Sexual na Igreja Metodista Unida” descobriu um número elevado de incidentes de assédio sexual em ambientes de igrejas locais e de seminários (Gail Murphy-Geiss, “Sexual Harassment in The United Methodist Church,” Chicago: General Commission on the Status and Role of Women, 2005). Um estudo realizado em 2009, “Sexo e o Seminário: Preparar Ministros para Saúde e Justiça Sexuais” [“Sex and the Seminary: Preparing Ministers for Sexual Health and Justice”] pelo Religious Institute (Instituto Religioso), descobriu que poucos seminários oferecem cursos abrangentes sobre questões de sexualidade para profissionais religiosos e a maioria dos seminaristas pode formar-se sem frequentar um curso sobre sexualidade. Além disso, os professores efectivos são os menos propensos a ensinar cursos relacionados com a sexualidade. Uma das principais recomendações do relatório é que os seminários exijam cursos sobre sexualidade humana e limites profissionais saudáveis (Kate M. Ott, “Sex and the Seminary: Preparing Ministers for Sexual Health and Justice,” New York: Religious Institute, 2009). 

Desde 1996, a Igreja Metodista Unida tem apelado para que “as escolas de teologia relacionadas com a Igreja Metodista Unida fornecessem formação sobre a prevenção e erradicação do assédio sexual, abuso sexual e má conduta sexual no seio da relação ministerial” (Livro de Resoluções de 2008, pág. 139; ver também o Livro de Resoluções de 1996, pág. 131). A Igreja Metodista Unida também tem incitado os seminários a abordar questões de pornografia e dependência de pornografia (Livro de Resoluções de 2008, pp. 155-56). Algumas escolas têm progredido bem em relação ao ensino de ética profissional e de ética sexual para o ministério, e alguns membros do corpo docente trabalham muito arduamente para atender aos aspectos éticos da profissão ministerial. No entanto, estes esforços, muitas vezes dependem do compromisso apaixonado de membros individuais do corpo docente e de administradores e ainda não estão integrados nas estruturas institucionais de expectativa no ensino do seminário. (Esta dinâmica ultrapassa a educação teológica metodista unida. Num estudo de referência de 400 páginas sobre a educação do clero pela Fundação Carnegie para o Avanço do Ensino, as questões de ética sexual e limites interpessoais são mencionadas apenas três vezes e em poucas palavras. Charles Foster, Lisa E. Dahill, Lawrence A. Golemon, e Barbara Wang Tolentino, Educating Clergy: Teaching Practices and Pastoral Imagination, San Francisco: Jossey-Bass, 2006, pp. 173, 315 e 338). A Igreja Metodista Unida deseja que a ética profissional vá além de uma ênfase especial de membros isolados do corpo docente e se torne uma parte integral e intencional do tecido da formação ministerial. A Igreja Metodista Unida apela a seminários e escolas do Programa de Estudo para reforçar a cobertura curricular existente e a formação em ética profissional para os metodistas unidos que se preparam para exercer funções de liderança ministerial.

Um grupo multidisciplinar, multiétnico, racialmente diversificado e ecuménico de estudiosos, clérigos e consultores concordou unanimemente sobre a necessidade fundamental de melhorar as estruturas de educação profissional para o clero. Muitas pessoas e grupos foram incluídos e consultados no desenvolvimento de uma estratégia para melhorar a formação em ética profissional para os metodistas unidos que se preparam para exercer funções de liderança ministerial. Em Abril de 2010, a GCSRW convocou um seminário de um dia inteiro com professores, administradores e consultores do seminário, com a participação da Junta Geral de Educação Superior e Ministério, para examinar a questão da prontidão ministerial e má conduta sexual e desenvolver recomendações para abordar esta necessidade. (Os detalhes deste seminário, juntamente com os recursos e actualizações sobre este projecto foram disponibilizados on-line durante o desenvolvimento e teste dessas directrizes: http://umsexualethics.org/Education /SeminaryCurriculumDevelopment.aspx). Dois participantes do seminário provenientes de diferentes seminários metodistas unidos comprometeram-se a oferecer um curso piloto de ética sexual para o ministério no segundo semestre de 2010. O sucesso destes cursos electivos foi comunicado à GCSRW em Janeiro de 2011. Entretanto, a GCSRW realizou sessões de audição e workshops pedagógicos. com dois seminários adicionais metodistas unidos durante o ano lectivo de 2010-2011. Também estão a ser elaborados planos para reuniões com o corpo docente de cada seminário metodista unido até 2014. A GCSRW colaborou em Janeiro de 2011 com o Instituto FaithTrust e o Religious Institute para apresentar um painel e workshop de pedagogia para a Sociedade de Ética Cristã (Society of Christian Ethics) sobre “Ensinar Sexualidade sob uma Perspectiva de Ética Profissional” (“Teaching Sexuality from a Professional Ethics Perspective”). (Esta sessão foi possível, em parte, através de uma bolsa do Wabash Center for Teaching and Learning in Theology and Religion, que é financiado pela Lilly Endowment Inc. e localizado no Wabash College em Crawfordsville, Indiana, nos Estados Unidos). A GCSRW também apresentou o seu trabalho nesta área a participantes da cimeira de ética sexual, intitulada “Do No Harm 2011” (“Não Fazer Mal”), que teve a participação de líderes metodistas unidos provenientes de 56 conferências anuais e se realizou em Houston, Texas, em Janeiro de 2011.

Na sequência destas consultas com professores, administradores, pessoal geral da agência e consultores, a GCSRW propõe o seguinte plano:

  1. Desenvolver objectivos pedagógicos relacionados com a ética profissional para ministério, os quais devem ser cobertos durante o currículo do curso de Mestrado de Divindade (Masters of Divinity) (doravante referido como MDiv);
  2. Promover o desenvolvimento de uma série de módulos curriculares com recursos para cada cadeira principal do MDiv, adaptados a cada disciplina de estudo: teologia, ética, evangelismo, estudos bíblicos, educação de campo, etc. (incluindo cada um dos estudos teológicos básicos de graduação exigidos para a ordenação metodista unida, Livro da Disciplina de 2008, ¶ 324.4a);
  3. Incentivar intencionalmente a utilização do currículo implícito (nomeadamente, políticas sobre plágio e códigos de honra estudantil) para modelar ética profissional, políticas, procedimentos e adjudicação de má conduta;
  4. Desenvolver estratégias para uma maior colaboração contínua entre seminários metodistas unidos e entre seminários, a GCSRW e outras agências gerais e juntas do ministério ordenado.

 

Cada etapa representa a colaboração contínua com o corpo docente do seminário, administradores e equipa geral da agência. Na melhor das hipóteses, a formação profissional para a liderança ministerial não deve limitar-se a um assunto, classe ou disciplina académica, mas deve, sim, permear todo o currículo básico, filosofia ou forma de estar e experiência co-curricular da educação ministerial. O objectivo primordial é que todas as pessoas que se preparam para qualquer função de liderança ministerial na Igreja Metodista Unida estejam familiarizadas e pratiquem ética profissional, ética sexual, limites saudáveis e auto-cuidado.

     Por conseguinte, fica resolvido, que a Igreja Metodista Unida necessita de um rigoroso programa de prontidão ministerial relativamente à ética profissional, ética sexual, limites saudáveis e cuidados pessoais para que o referido programa passe a ser um aspecto padrão do seminário metodista unido e do ensino do Programa de Estudo. As seguintes metas pedagógicas, competências essenciais e áreas de conteúdo devem aplicar-se aos alunos no programa do MDiv de cada seminário metodista unido e seminários adicionais aprovados pelo Senado da Universidade e ao Programa de Estudo para pastores locais licenciados.

 

Objectivos — Futuros líderes ministeriais devem:

  1. Compreender os limites interpessoais saudáveis como uma parte integrante para possibilitar a confiança necessária para o ministério;
  2. Reconhecer a ética sexual no ministério como uma questão de uso apropriado do poder e prevenção do abuso em vez de exclusivamente uma questão de “moralidade sexual”;
  3. Compreender a importância da ética profissional, incluindo as suas próprias políticas e expectativas denominacionais;
  4. Conhecer a função dos líderes judiciais na prevenção e resposta à má conduta sexual do clero;
  5. Tornar-se conhecedor da sexualidade humana, da sua própria sexualidade e de como lidar com sentimentos sexuais que possam surgir entre congregantes e vice-versa;
  6. Apreciar como a integridade sexual contribui para a plenitude espiritual e como isso é vital para a formação ministerial e saúde pessoal;
  7. Tornar-se conhecedor dos recursos bíblicos e teológicos para tudo o que foi mencionado acima.

 

Competências — Os candidatos ministeriais devem:

  1. Praticar escolhas de vida saudáveis e equilíbrio trabalho/vida;
  2. Ser sexualmente consciente;
  3. Passar a sentir-se à vontade ao falarem sobre questões de sexualidade;
  4. Desenvolver aptidões para oferecerem cuidados pastorais e liderar o culto em questões de sexualidade;
  5. Estar empenhados em justiça sexual na congregação e na sociedade em geral.

 

Áreas do Conteúdo — Os alunos estudarão:

  1. Teologia do poder, privilégio e abuso (incluindo tópicos tais como: (dever fiduciário do ministério; paradigma de ética profissional; conflitos de interesse; limites saudáveis; predadores vs. aqueles que vão de conquista em conquista);
  2. Sexualidade humana (incluindo tópicos como: namoro, intimidade e equilíbrio trabalho/vida; gravidez, controlo de natalidade e aborto; pornografia e objectivação de pessoas; vergonha e abuso; consentimento e vulnerabilidade; aspectos genéticos, culturais e fisiológicos do género e da sexualidade);
  3. Má conduta sexual no ministério (incluindo tópicos como: violações de limites; processos judiciais de fazer justiça; secretismo; usos inapropriados de redes sociais e de tecnologias de comunicação);
  4. Cuidado pastoral (incluindo tópicos como: trabalhar com vítimas de violência e abuso sexual; transferência; relacionamentos duplos; confidencialidade e administração da informação; referências);
  5. Melhores práticas de ministério (incluindo tópicos como: cibersegurança, Santuários Seguros [Joy T. Melton, Safe Sanctuaries: Reducing the Risk of Child Abuse in the Church, Nashville: Discipleship Resources, 1998]; comunicações saudáveis, cuidado pessoal dos membros do clero; educação sexual durante toda a vida; ministério com agressores sexuais).

 

Este núcleo comum de expectativas fornecerá uma base de preparação para líderes ministeriais na Igreja Metodista Unida. A formação regular e actualizada de ética sexual actualmente exigida a todos os membros do clero sob nomeação pode basear-se nessa fundação compartilhada, em vez de ter de começar sempre pelas noções básicas (Livro de Resoluções, 2008, pág. 139). Comités distritais sobre ministério ordenado e juntas do ministério ordenado de conferências podem esperar que os candidatos ao clero tenham um conhecimento e compreensão de trabalho destas facetas da ética profissional e da sexualidade no ministério antes de serem nomeados para servir numa igreja. A formação continuada do clero durante a residência também pode basear-se neste núcleo comum.

     Fica ainda resolvido, que a GCSRW continuará o seu trabalho para melhorar a formação em ética profissional para os metodistas unidos que se preparam para papéis de liderança ministerial. Especificamente, a GCSRW continuará o plano de quatro etapas acima descrito.

Segunda etapa: A GCSRW continuará a encorajar e a equipar todos os membros do corpo docente para abordar estas questões, uma vez que as mesmas se referem especificamente à sua disciplina académica. A GCSRW trabalhará com grupos de professores para desenvolver uma série de modelos e recursos curriculares para cada cadeira central do MDiv, adaptado a cada disciplina de estudo: teologia, ética, evangelismo, estudos bíblicos, educação do campo, etc. (incluindo cada um dos estudos teológicos básicos de graduação necessários para a ordenação metodista unida, Livro da Disciplina de 2008, ¶ 324.4a).

Terceira etapa: paralelamente à segunda etapa, a GCSRW trabalhará com seminários para abordar a formação co-curricular e extracurricular dos alunos do seminário. Especificamente, a GCSRW criará directrizes para utilizar intencionalmente o currículo implícito (por exemplo, políticas de plágio e códigos de honra do aluno) para modelar ética profissional, políticas, procedimentos e adjudicação de má conduta.

Quarta etapa: A GCSRW desenvolverá estratégias para uma maior colaboração contínua entre os seminários da Igreja Metodista Unida e entre seminários, a GCSRW e outras agências gerais, e juntas do ministério ordenado. A GCSRW já iniciou este trabalho participando numa mesa-redonda, intitulada “Melhorar a Função de Salvaguarda por Seminários e Denominações” (“Improving the Gatekeeping Function by Seminaries and Denominations”), convocada pelo FaithTrust Institute, em Março de 2011.

Avaliar a nossa Responsabilidade: Os seminários têm muita flexibilidade para contextualizar as formas através das quais estes objectivos de aprendizagem são atingidos. Cada seminário tem a liberdade de moldar os seus currículos e cursos de maneiras que melhor atendam às estruturas do seminário em particular. Essas directrizes não especificam uma cadeira adicional de três horas por semestre para a ordenação (embora seja uma forma possível de atingir os objectivos indicados acima), mas sim que os objectivos sejam alcançados durante todo o grau académico profissional (MDiv) ou cinco anos de Programa de Estudo. Pretende-se que os administradores do seminário coordenem a forma como estes tópicos serão abordados em diferentes disciplinas e cursos académicos e como cada uma destas competências e objectivos será alcançada ao longo de qualquer via académica.

 

Fica ainda resolvido, que a Igreja Metodista Unida necessita de que:

  1. Os comités distritais e as Juntas de Ministério Ordenado das conferências esperam que os licenciados de seminários e de Programas de Estudo, a começar pela classe de alunos com início em 2013, tenham atingido os objectivos, alcançado as competências e coberto as áreas de conteúdo, conforme delineado;
  2. Cada seminário comunique à GCSRW, até Janeiro de 2014, o seu plano para alcançar os objectivos indicados acima;
  3. Os directores do Programa de Estudo comuniquem o mesmo à GCSRW até Setembro de 2014;
  4. A GCSRW ajude o decano académico ou outro administrador em cada seminário na interpretação desses objectivos, comunicando o plano de conformidade e avaliando o sucesso do programa; e
  5. A GCSRW comunique os resultados deste esforço à Conferência Geral de 2016.

 

APROVADO em 2012

RESOLUÇÃO 2046, 2012 LIVRO DE RESOLUÇÕES

Ver Os Princípios Sociais, ¶ 161J.